Como a psicologia e a hipnose se relacionam?

A psicologia e a hipnose, quando trabalhadas juntas, podem trazer grandes benefícios para os pacientes. É por isso que, cada vez mais, os psicólogos estão estudando a hipnoterapia, para que consigam resultados mais eficientes em seus atendimentos.

Quer saber mais sobre como a psicologia e a hipnose se relacionam? Então, prossiga com a leitura! Nos tópicos a seguir, trarei considerações interessantes sobre o tema.

Psicologia e hipnose: pontos que devem ser desmistificados

A hipnose na odontologia, ou hipnodontia não é uma técnica nova. Foi utilizada pela primeira vez por J. V. Oudet, em Quando se ouve falar em hipnose, muitas pessoas fazem associações a atos de ocultismo e shows feitos por hipnotizadores de palco. É por isso que, grande parte das pessoas leigas e até mesmo profissionais da psicologia olham essa ferramenta com descrédito.

Acontece que a psicologia e a hipnose têm mais pontos em comum do que se imagina. Inclusive, a hipnoterapia sempre trouxe muitas vantagens para os tratamentos psicoterapêuticos e psiquiátricos. 

Para você ter uma ideia, ainda em 1877, Jean-Martin Charcot, um famoso médico e cientista francês, usava a hipnose para tratar a histeria e outros tipos de perturbações psíquicas.

Freud, considerado o pai da psicanálise, inclusive, foi diretamente influenciado pelos métodos de Charcot ao desenvolver as teorias.

Apesar disso, Freud abandonou o uso da hipnose. De acordo com registros da época, ele alegava não ter sucesso ao levar as pessoas ao transe. Isso se explica, entre outras coisas, pelo fato da técnica não ser tão desenvolvida na época e pelo próprio psicanalista não se considerar um bom hipnotista.

Logo, o fato de Freud ter abandonado a hipnose não justifica desacreditar a técnica. Tendo em vista que, nos anos seguintes, outros renomados estudiosos e terapeutas, como Pierre Janet e Clark L.Hull continuaram a utilizando e aperfeiçoando.

A hipnose na atuação do profissional de psicologia

A maior prova de que psicologia e hipnose são áreas que se complementam é o fato de que os psicólogos podem praticar atendimentos aplicando a hipnoterapia.

De acordo com a Resolução nº 013/2020, do Conselho Federal de Psicologia (CFP): “O psicólogo poderá recorrer a Hipnose, dentro do seu campo de atuação, desde que possa comprovar capacitação adequada, de acordo com o disposto na alínea “a” do artigo 1º do Código de Ética Profissional do Psicólogo.”

Ou seja, se buscar uma formação complementar e realmente entender a hipnose, o psicólogo pode aplicar esse método em seus atendimentos, conquistando diversos benefícios para os pacientes.

Os principais benefícios da hipnoterapia

Antes de tudo é fundamental salientar que a hipnodontia deve ser utilizada apenas por profissionais especializados e habilitados para aplicar a técnica. Além disso, é necessário ter sigilo, conhecimento e saber identificar em que momento a ferramenta pode ser eficiente, preservando também a integridade física, emocional e mental do paciente.

A hipnose na odontologia é feita através da comunicação. Em conversa com o paciente, que pode estar com os olhos abertos ou fechados, o dentista consegue sugerir ações, sentimentos, entre outros. Gradualmente, o mesmo entra em estado de relaxamento, permitindo que o atendimento seja feito com mais tranquilidade.

Existem diversas funcionalidades para aplicar a técnica no consultório odontológico. Confira algumas delas.

Facilidade para o aprendizado

A hipnose tem como um de seus objetivos estudar a comunicação e os seus efeitos na percepção e no comportamento. 

Dessa forma, quando um paciente é submetido a sessões de hipnoterapia, aprende a mudar as suas crenças de forma muito mais prática e rápida.

Agilidade nos resultados

Justamente por facilitar o aprendizado, a hipnoterapia conquista resultados mais brevemente para os pacientes.

Em média, não são necessárias mais de quatro sessões para que o paciente perceba melhora significativa em seus quadros.

Geração de alívio dos sintomas e tratamento da causa

A hipnoterapia, por meio da comunicação, gera uma mudança de percepção no indivíduo, a qual damos o nome de hipermnésia, que diz respeito ao aumento da memória.

Assim sendo, a hipnoterapia faz com que os pacientes lidem melhor com os traumas do passado, que são responsáveis pelo sofrimento no presente.

Porém, sabemos que mudar o passado não é possível. Agora, com a hipnose, é possível ressignificar momentos e fazer com que as causas do sofrimento sejam realmente tratadas e as feridas realmente “cicatrizadas” e não apenas “maquiadas”.

Ausência de efeitos colaterais

O processo da hipnose não gera nenhum efeito colateral nos pacientes. É o contrário do que acontece com outras abordagens psiquiátricas, que exigem o uso de medicamentos que causam dependência, por exemplo. 

A hipnose é uma abordagem usada na psicologia em que a única ferramenta usada é a própria mente humana. Não é necessário nenhuma intervenção medicamentosa ou prática que cause qualquer tipo de mal ao paciente.

Situações em que o psicólogo pode aplicar a hipnoterapia

A relação entre a psicologia e a hipnose faz com que o psicólogo possa aplicar a hipnoterapia para tratar diversos casos. Conheça alguns dos principais!

Depressão e ansiedade

Por meio da hipnoterapia, o psicólogo pode ajudar o paciente a aprender a controlar suas tristezas, angústias e ansiedade excessivas.

Dessa forma, se consegue resultados dos mais eficientes para o controle da depressão e da ansiedade.

Fobias

A fobia se caracteriza por um medo ou pavor descontrolado de alguma coisa, como insetos, água, fogo, altura, andar de avião etc.

Geralmente, as fobias são causadas por conta de traumas do passado, que podem ser tratados com a hipnose.

Emagrecimento

Os pacientes que desejam emagrecer também podem recorrer à hipnose. Nesse caso, os psicólogos podem usar as técnicas de hipnoterapia para interromper os gatilhos emocionais que fazem as pessoas terem o desejo de comer de forma compulsiva.

Além disso, a hipnose ajuda a preparar a mente e  corpo para realizar uma reeducação alimentar e a praticar exercícios, sem que isso represente qualquer tipo de sofrimento.

Desenvolvimento pessoal

A hipnose é capaz de ajudar a mente a resolver conflitos e encontrar caminhos. Dessa forma, os indivíduos podem explorar o inconsciente e se desenvolverem mais como pessoas e profissionais. 

Se você é psicólogo, pode unir os seus conhecimentos em psicologia com as técnicas da hipnose e conquistar resultados muito mais eficientes para os seus pacientes. 

Quer saber mais? Siga aqui no blog e leia agora o artigo que explica quem pode ser um hipnoterapeuta.

Compartilhe

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no whatsapp

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *